AÇÕES DE SAÚDE NO DSEI YANOMAMI

Como forma de intensificar as ações de saúde no Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) Yanomami, o Ministério da Saúde, por meio da Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI), elaborou, no mês de novembro, o Plano de ações emergenciais na região do Surucucu para redução dos índices de malária e desnutrição infantil, dividido por etapas de execução que incluem ações imediatas, de médio e longo prazo e contou com a colaboração do conselho distrital e lideranças indígenas. Como parte das ações a serem adotadas imediatamente, o Distrito Sanitário Yanomami já enviou mais profissionais de saúde, medicamentos e insumos para a região de Surucucu, região oeste do estado de Roraima, visando intensificar as atividades de saúde.

DSEI YANOMAMI

O Distrito Sanitário Especial Indígena (DSEI) Yanomami foi o primeiro DSEI criado no âmbito da saúde indígena, conforme Portaria Interministerial dos Ministérios da Saúde e da Justiça nº 316, de 11 de abril de 1991. A sede está localizada na cidade de Boa Vista – RR e abrange uma área de 9.664.975 hectares, incluindo-se regiões dos estados de Roraima e Amazonas, na fronteira com a Venezuela.

O DSEI EM NÚMEROS

O DSEI Yanomami é composto por uma Casa de Saúde Indígena (CASAI), 37 Polos Base e 78 Unidades Básicas de Saúde Indígena (UBSI) que assistem 27.723 mil indígenas, distribuídos em 366 aldeias, habitadas por cinco grupos indígenas distintos: Sanumã, Ninan, Yawari/Xamathari, Ye´kuana e Yanomami, o mais numeroso.

Para executar suas ações, o DSEI Yanomami conta com 823 profissionais. Destes, 260 são indígenas. Esses profissionais de saúde enfrentam as dificuldades logísticas e climáticas peculiares dessa região tendo em vista que 95% do acesso às aldeias só pode ser realizado por meio de aeronaves. As Equipes Multidisciplinares de Saúde Indígena (EMSI) do Distrito prestam seus serviços tanto nas Unidades Básicas de Saúde (UBSI) quanto em aldeias, em meio à selva amazônica. Em muitos casos, é necessário ainda percorrer vários quilômetros a pé para que os indígenas sejam localizados. O aspecto seminômade de parte dessa população é um dos fatores que dificulta o acesso dos profissionais de saúde que precisam de mais esforços para levar atendimento às crianças, adultos e idosos.

ATENDIMENTOS

Em 2020 e 2021 foram realizados mais de 1,2 milhão de atendimentos pelas equipes do DSEI, sendo mais de 582 mil em 2020, e mais 620 mil em 2021, até outubro. Cada procedimento é registrado como atendimento realizado. Ressalta-se ainda que cabem aos estados e municípios a complementação das ações por meio de média, alta complexidade e atendimento especializado.

O DSEI Yanomami conta com médicos, psicólogos, nutricionistas, enfermeiros, dentistas, assistentes sociais, farmacêuticos, agentes de endemias, agentes indígenas de saúde, agentes indígenas de saneamento, técnicos e auxiliares de saúde bucal, técnicos e auxiliares de enfermagem, farmacêuticos

.

PRINCIPAIS DESAFIOS

De acordo com o Plano Distrital de Saúde Indígena do DSEI Yanomami, as principais doenças e agravos que ainda ocorrem na população são desnutrição infantil, doenças do trato respiratório superior, doenças de veiculação hídrica e malária com destaque também para outras doenças, a exemplo da tungíase, tuberculose e da oncocercose, que historicamente fazem parte do perfil epidemiológico do DSEI. Destaca-se ainda a entrada de indígenas que habitam o território da Venezuela na fronteira e que, por vezes, já chegam ao território brasileiro com sérios agravos relacionados à desnutrição e malária.

Trata-se, no entanto, de problemas que, conforme farta documentação existente, são comuns, há décadas, aos indígenas Yanomami brasileiros e venezuelanos. Por isso, têm sido objetivo constante da atual coordenação distrital e da SESAI a busca das soluções que se fazem necessárias naquilo que lhes cabe como competência.

Para isso, ações como: testagem em massa para investigação epidemiológica da malária e diagnóstico precoce, busca ativa dos casos positivos, ações educativas com o apoio de intérpretes indígenas, distribuição de mosquiteiros impregnados com inseticidas de longa duração (MILD) do Ministério da Saúde, borrifações nas xaponas (casas de palha), fumacê com nebulização espacial na área externa das aldeias, entre outras.

Em relação às ações de combate à desnutrição, o DSEI realiza a suplementação profilática com ferro e ácido fólico para todas as gestantes e crianças indígenas, a distribuição de suplementação profilática de doses de vitamina A para crianças de 06 a 59 meses de idade, entrega de sachês de suplementos alimentar para crianças com déficit nutricional e capacitação de profissionais da EMSI sobre a Atenção ao Pré-Natal.

O Distrito reconhece que existem áreas que são afetadas por conflitos, o que têm feito com que haja algumas interrupções de entrada das Equipes Multidisciplinares de Saúde Indígena para atendimento em alguns pontos. Dos 37 Polos Base do DSEI, dois encontram-se temporariamente fechados, Kataroa e Lahaka. No entanto, apesar das equipes não poderem estar de modo permanente nessas áreas, a assistência vem ocorrendo, por meio de missões pontuais que ocorrem com apoio de órgãos como a Força Nacional e Funai. Além disso, busca-se o diálogo com as comunidades indígenas para que possam colaborar para o atendimento de saúde que lhes é garantido por Lei.

INSUMOS

O Ministério da Saúde (MS) envia aos Distritos Sanitários Especiais Indígenas insumos como forma de complementar seus estoques que são adquiridos exclusivamente pela pasta. Em 2020, o quantitativo de insumos enviados ao DSEI Yanomami foi de 2.920.482. Um aumento de 34%, em relação a 2019. Já foram distribuídos para o DSEI um total de 2.363.957 insumos de saúde. Somados os dois anos a distribuição alcançou o quantitativo de mais de 5 milhões de unidades de insumos.

AÇÕES REALIZADAS PELA SESAI

Em 2021, já foram realizadas 16 missões de apoio ao DSEI para tratar de assuntos como ações de combate à malária, desnutrição infantil e vacinação, além de recursos e apoio em capacitações técnicas.

INVESTIMENTOS

Por conta dessas particularidades e dificuldades, o DSEI Yanomami é o Distrito que mais recebeu investimentos do governo federal nos últimos três anos, somando-se mais de R$ 216 milhões para aquisição de bens, insumos, medicamentos, contratação de recursos humanos, entre outros.

VÍDEOS



NOTÍCIAS

 

Ações de enfrentamento à COVID-19 -
Ações de enfrentamento à COVID-19 -
Ações de enfrentamento à COVID-19 -
Ações de enfrentamento à COVID-19 - YANOMAMI
Ações de enfrentamento à COVID-19 -
Ações de enfrentamento à COVID-19 -
Ações de enfrentamento à COVID-19 -
Ações de enfrentamento à COVID-19 -
Ações de enfrentamento à COVID-19 -
Ações de enfrentamento à COVID-19 -
Ações de enfrentamento à COVID-19 -
Ações de enfrentamento à COVID-19 -
Ações de enfrentamento à COVID-19 -
Ações de enfrentamento à COVID-19 -
Ações de enfrentamento à COVID-19 - YANOMAMI
Ações de enfrentamento à COVID-19 - YANOMAMI
Ações de enfrentamento à COVID-19 - YANOMAMI

NOTAS PÚBLICAS